quarta-feira, 6 de maio de 2015

Resenha #1: 80 Anos de Poesia de Mario Quintana

Saudação queridos leitores!!! Tudo bem com vocês???
Como eu disse pessoal, esse blog não será somente para divulgação de minha pessoa, também será um blog literário... Eu estarei tentando postar aqui pelo menos uma ou duas vezes por semana, então pode ser que tenha semana que não tenha novidades sobre mim, então eu vou intercalar entre: Novidades sobre mim, Resenhas, Novidades no meio literário como novos lançamentos, etc. Tudo ligado é claro a LIVROS. (Risos).
Como da a informar o título, essa é a Resenha #1, e como estréia para o blog começar com o pé direito com as resenhas eu escolhi o livro 80 anos de Poesia de Mario Quintana, como também informo no título (risos), Então vamos conferir ai a resenha com alguns pequenos Spoilers de poesias, que gosta do gênero textual Como eu vai gostar dos trexos que deixarei. (risos).

Título: 80 Anos de Poesia
Autor: Mario Quintana
Páginas: 208
Editora: Editora Globo
Sinopse: A coletânea 80 anos de poesia, é uma antologia publicada pela Editora Globo para homenagear os 80 anos de vida de Mário Quintana. Com organização de Tânia Franco Carvalhal, a obra contém poemas que mostram as várias facetas do poeta.
Apresentados em ordem cronológica, eles atestam a procura de diferentes maneiras de dizer e indicam como o poeta vai optando por uma expressão próxima do coloquialismo, vizinha da prosa. Isto permite ao leitor uma visão geral do percurso poético de Quintana, mestre em estabelecer uma comunicação imediata e efetiva com quem o lê: ao dizer o humano em suas múltiplas facetas, ele fala a todos nós.
São poesias pertencentes ao Segundo Tempo Modernista (1930-1945), onde aparecem temas constantes de suas obras como a infância (que é tratada com certo lirismo), os meninos, as ruas de Porto Alegre e a velhice.
Suas poesias, aparentemente simples, trazem a complexidade de quem viveu intensamente o sentimento de mundo. A vasta percepção possibilita uma engenharia sólida no que toca à compreensão da natureza humana. Convicto com relação à sua capacidade criadora, manteve-se distante dos modismos literários, cultuando forte independência com relação a qualquer tipo de classificação que viesse a rotulá-lo, ou à sua obra. Esse individualismo creditou-lhe um orgulho persistente, haja visto a sua autenticidade, instigando-lhe a dividir grandes lições de vida com o leitor que vier a prestigiá-lo.

O livro...

Ah o livro, como explicar algo feito por um Deus da poesia? Como? Saber que meus olhos leram cada palavra do livro diversas vezes, meus dedos viraram cada página várias e várias vezes, é inesplicavel tal Maravilha, mas como estou aqui para isso vou tentar fazer, vou tentar mesmo sabendo que jamais conseguirei explicar o tão Maravilhoso que é esse livro, o quão Magnífico foi poder saber o que o Rei pensa e sente.
                                  A imaginação é a memória que enlouqueceu.
De acordo com essa frase do Rei a minha memória vive constantemente Louca!
Quintana tem uma linguagem própria, uma forma diferente, por isso ele é o meu Rei, não li todos os livros dele mas os que eu li percebi que Mario Quintana é O Cara.
                Os verdadeiros analfabetos são os que aprendem a ler e não lê-em.
Mas uma frase ótima. Tendo tudo para se ler, para contemplar belezas como os poemas de Quintana, Analfabetos que em vez de usar uma coisa que ensinaram a eles quando crianças eles pegam esse ensinamento dobram bem dobradinho e guardão no bolso para usar somente quando necessário. Nem precisaria ser um daqueles caras Eu que quando pegam um livro pra ler Se fecham nele, se trancam em um Universo paralelo no qual só ele pode entrar, Mas nem mesmo tendo tudo o que precisa para não ser um Analfabeto eles preferem ser um, eles preferem não ter cultura, ser mais um em meio a tantos outros, ser mais um ANALFABETO.
                   Não são todos os que realizam os velhos sonhos da infância!
Será que o pequena menino que sonhas em ser um jogador de futebol ou a pequenina menina que sonha ser uma modelo realiza-rá seu sonho, será, não, nem todas as crianças têm seus sonhos realizados, algumas dessas crianças em vez de jogador de futebol vão ser advogados, em vez de modelos médicos, a vida é assim, cruel! Por que um pequeno sonho não pode ser realizado, por que apenas alguns realizam, pode ser o destino mas por que?
Raphael Sulivã
Mario Quintana foi e sempre será o Rei... O Rei da POESIA!


Veja abaixo uma foto dele:


Fim




Pontuação:

5/5


Abraços,

Pessoal... Vamos ajudar a minha pessoa?... Divulgue nas redes sociais e me ajude, Pleas!
RaphaTV
RaphaTV

Raphael Sulivã nasceu em Taubaté-SP em 26 de Dezembro de 2000. Sempre foi uma criança muito criativa, gostava de tudo, e principalmente de Imaginar. Um dia resolveu escever um poema, e desde então não parou mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário